sábado, 25 de janeiro de 2014

 
Brasão: Escudo de azul, com busto da rainha Santa Mafalda, vestida de prata, coroada e aureolada de ouro, acompanhada de dois ramos de oliveira, de ouro, atados em ponta do mesmo metal. Chefe de prata com uma faixa e três palas de vermelho, carregado em cada cruzamento de uma flor-de-lis, de ouro. Em ponta, duas faixetas ondadas, de prata. Coroa mural de quatro torres de prata. Listel branco com a legenda a negro: "AROUCA". D.G. I Série, de 28/08/40

Arouca é uma vila da Área Metropolitana do Porto, pertencente ao distrito de Aveiro, com 5.178 habitantes (2011). O concelho, subdividido (depois de 2013) em 16 freguesias, tem 237,99Km2 de área e 22.359 habitantes (2011).
Brasão: Escudo de ouro, flor-de-lis de azul, realçada de prata, entre dois ramos de oliveira de verde, frutados de negro e atados de vermelho; campanha diminuta ondada de azul e prata de três tiras. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «FREGUESIA de AROUCA». D.R.III Série nº 174, de 30/07/02
 
Arouca é hoje parte da denominada União das Freguesias de Arouca e Burgo, pertencente ao concelho de Arouca.
Antes da integração, ocorrida no âmbito da reforma administrativa nacional, concluída em 2013, constituía uma freguesia autónoma, com 8,49Km2 de área e 3.185 habitantes (2011).
 
Brasão: Escudo de ouro, monte de negro carregado de uma pala ondada de prata, carregada de duas coticas ondadas de azul e suportando uma cabra passante, de vermelho, armada de negro. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «ALBERGARIA DA SERRA». D.R.III Série nº 138, de 16/06/00

Albergaria da Serra (anteriormente denominada Albergaria das Cabras) é hoje parte da União das Freguesias de Cabreiros e Albergaria das Cabras, pertencente ao concelho de Arouca.
Antes da integração, no âmbito da reforma administrativa nacional, concluída em 2013, constituía uma freguesia autónoma, com 11,93Km2 de área e 105 habitantes (2011).

Brasão: Escudo de vermelho, uma torre de prata, aberta, frestada e lavrada de negro, entre dois pés de milho de ouro; em chefe, um pão de ló do mesmo. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «BURGO». D.R.III Série nº 191, de 19/08/00

Burgo é atualmente parte da denominada União das Freguesias de Arouca e Burgo, pertencente ao concelho de Arouca.
Antes da integração, no âmbito da reforma administrativa nacional, concluída em 2013, constituia uma freguesia autónoma, com 6,76 Km2 de área e 1.993 habitantes (2011).
Foi vila e sede de concelho até 1817, com a denominação de Vila Meã do Burgo ou Burgo Novo de Arouca. Aquando da extinção do pequeno concelho, decorrente de um privilégio da Infanta Rainha Dona Mafalda, passou a integrar o concelho de Arouca.
 
Brasão: Escudo de ouro, uma cabra de vermelho, saltante, realçada de prata, entre quatro bilhetas de azul, duas em chefe e duas em campanha. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «CABREIROS - AROUCA». D.R.III Série nº 8, de 12/01/05
 
Cabreiros é atualmente parte da denominada União das Freguesias de Cabreiros e Albergaria da Serra, pertencente ao concelho de Arouca.
Antes da integração ocorrida em 2013, no âmbito da reforma administrativa nacional, era uma freguesia autónoma, com 19,3Km2 de área e 126 habitantes (2011).


Brasão: Escudo de ouro, trilobite de vermelho, realçada de prata, com oito lisonjas de azul alinhadas em orla. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco com a legenda de negro, em maiúsculas : “CANELAS - AROUCA“. D.R.III Série nº 176, de 30/07/99

Canelas é hoje parte da denominada União das Freguesias de Canelas e Espiunca, pertencente ao concelho de Arouca.
Antes da integração, no âmbito da reforma administrativa nacional, concluída em 2013, constituia uma freguesia autónoma, com 21,51Km2 de área e 801 habitantes (2011).
Foi uma freguesia pertencente ao concelho de Alvarenga, extinto em 1843, passando então a integrar o concelho de Arouca.
 
Brasão: Escudo de azul, com uma chave de prata e uma palma de ouro passadas em aspa; campanha diminuta ondada de prata e azul de três tiras. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro «CHAVE». D.R.II Série nº 134, de 13/07/07

Chave é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 10,91Km2 de área e 1.253 habitantes (2011).
 
Brasão: Escudo de púrpura, dólmen de prata realçado de negro; em chefe, espiga de milho de ouro, entre duas abelhas do mesmo, aladas de prata. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: "ESCARIZ - AROUCA".  D.R.III Série nº 244, de 22/10/02
 
Escariz é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 17,99 Km2 de área e 2.222 habitantes (2011).
Após a Revolução Liberal passou a integrar o concelho de Cabeçais e Fermedo, extinto em 1855, passando a partir de então a integrar o concelho de Arouca.
 
Brasão: Escudo de ouro, ponte de um arco de negro, lavrada de prata, movente dos flancos e de campanha ondeada de azul e prata; em chefe, ramo de oliveira de verde, frutado de negro e ramo de pinheiro de verde, com pinhas de sua cor, os pés passados em aspa e atados de vermelho . Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: "ESPIUNCA - AROUCA". D.R.III Série nº 174, de 30/07/97
 
Espiunca é hoje parte da denominada União das Freguesias de Canelas e Espiunca, pertencente ao concelho de Arouca.
Antes da integração, no âmbito da reforma administrativa nacional, concluída em 2013, constituia uma freguesia autónoma, com 14,22Km2 de área e 382 habitantes (2011).

Brasão: Escudo de prata, torre de negro lavrada, aberta e iluminada do campo entre dois molhos de duas espigas de trigo de verde, atadas de vermelho; em chefe, duas abelhas de negro, realçadas de ouro. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco, com a legenda a negro: «FERMEDO». D.R.III Série nº 117, de 20/05/00
 
Fermedo é uma freguesia do concelho de Arouca, com 11,11Km2 de área e 1.340 habitantes (2011).
 
Foi sede de concelho até 24 de Outubro de 1855, com a designação de Cabeçais e Fermedo. Era então contituído pelas freguesias de Fermedo e São Miguel do Mato. Após a revolução liberal integrou ainda as freguesias de Vale, Louredo, Romariz (que passaram depois a integrar o concelho de Santa Maria da Feira), e Mansores e Escariz (que passaram depois a integrar o concelho de Arouca).

Janarde é hoje parte da União das Freguesias de Covelo de Paivó e Janarde, pertencente ao concelho de Arouca. Antes da agregação, ocorrida em 2013, no âmbito da reforma administrativa nacional, era uma freguesia autónoma com 17,9Km2 de área e 119 habitantes (2011).

Brasão: Escudo de verde, castelo de prata lavrado de negro, aberto e iluminado de vermelho, entre uma palma de ouro e uma tenaz de prata, passadas em aspa, em chefe e duas espigas de trigo de ouro, realçadas de negro, com os pés passados em aspa, em ponta. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «MANSORES - AROUCA». D.R.III Série nº 202, de 01/09/00
 
Mansores é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 14,08 Km2 de área e 1.081 habitantes (2011).

Brasão: Escudo de azul, duas rodas de azenha de ouro, realçadas de negro, saíntes de campanha diminuta ondada de prata e azul de três tiras, em chefe, palma de ouro posta em banda. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: "MOLDES". D.R.III Série nº 258, de 08/11/02
 
Moldes é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 28,01Km2 de área e 1.257 habitantes (2011).

Brasão: Escudo de verde, monte de ouro movente da ponta; brocante sobre o todo, perle ondado de prata, carregado de perle diminuto ondado de azul; em chefe, cruz da Ordem de Malta. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «ROSSAS - AROUCA». D.R.III Série nº 205, de 31/08/04
 
Rossas é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 11,11Km2 de área e 1.599 habitantes (2011).

Brasão: Escudo de verde, pomba voante de prata, realçada de negro e animada de vermelho, campanário de ouro, lavrado de negro e cacho de uvas de púrpura, sustido de prata, tudo alinhado em roquete; em campanha, faixeta ondada de prata carregada de burela ondada de azul. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «SANTA EULÁLIA - AROUCA». D.R.III Série nº 268, de 19/11/03
 
Santa Eulália é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 23,05Km2 de área e 2.253 habitantes (2011).

Brasão: Escudo de prata, tojo arrancado de verde, florido de ouro; em chefe, espada de lâmina flamejante de vermelho, sustendo balança de azul. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «S. MIGUEL DO MATO - AROUCA». D.R.III Série nº 205, de 31/08/04
 
São Miguel do Mato é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 17,11 Km2 de área e 598 habitantes (2011).
Esta freguesia pertenceu ao concelho de Fermedo, extinto em 1855, passando então a integrar o concelho de Arouca.

Brasão: Escudo de prata, mó de vermelho aberta do campo; em chefe, três cruzes soltas de azul, alinhadas em faixa e, em campanha, dois ramos de oliveira de verde, frutados de negro, com os pés atados de vermelho. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: “TROPEÇO”. D.R. II Série n.º 124 de 30-06-08
 
Tropeço é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 17,84 Km2 de área e 1.150 habitantes (2011).
 
Brasão: Escudo de ouro, torre sineira de dois arcos, de vermelho, lavrada de negro e aberta do campo, com sinos de azul e duas espigas de milho de ouro, folhadas de verde, tudo alinhado em roquete; em ponta, monte de três cômoros de verde, movente dos bordos. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: "URRÔ - AROUCA". D.R.III Série nº 25, de 30/01/01
 
Urrô é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 10,79 Km2 de área e 1.029 habitantes (2011).
 
Brasão: Escudo de ouro, faixa ondada de azul carregada de uma burela ondada de prata; em chefe, globo crucífero de vermelho, guarnecido de prata e cruz da Ordem de Cristo; em campanha, pano de muralha de negro lavrado de prata. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: «VÁRZEA — AROUCA». D.R.III Série nº 203, de 21/10/05
 
Várzea é uma freguesia pertencente ao concelho de Arouca, com 1,79 Km2 de área e 540 habitantes (2011).

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012


domingo, 9 de dezembro de 2012

sábado, 8 de dezembro de 2012

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

domingo, 2 de dezembro de 2012


sábado, 1 de dezembro de 2012

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

terça-feira, 27 de novembro de 2012

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

sábado, 19 de maio de 2012

por Manuel Joaquim Moreira da Rocha
Revista da Faculdade de Letras
CIÊNCIAS E TÉCNICAS DO PATRIMÓNIO
Porto 2006-2007
I Série vol. V-VI, pp. 527-548
A INTERVENÇÃO DOS "MONUMENTOS NACIONAIS" NOS EXTINTOS MOSTEIROS DE AROUCA, LORVÃO E S. BENTO DE CÁSTRIS
por Miguel Jorge Tomé
Revista da Faculdade de Letras
CIÊNCIAS E TÉCNICAS DO PATRIMÓNIO
Porto, 2003
I Série vol. 2, pp. 703-734

quarta-feira, 16 de maio de 2012

DR. ALBANO VAZ PINTO ALVES

Nasceu em Arouca no dia 22.VI.1929. Licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, passando a exercer a actividade de funcionário público, pelo que foi Presidente da Comissão Distrital da União Nacional,  Subdelegado do INTP na Covilhã, Presidente da Comissão Organizadora da Caixa de Previdência do Distrito de Viseu e Delegado do Comissariado do Desemprego. Foi Deputado à Assembleia da República nas X (1969-1973) e XI (1973-1974) Legislaturas.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012



Bussaco: 1-Manuel Rodrigues Simões Junior, 2-José Gomes Figueiredo Sobrinho, 3-Augusto Barata da Rocha, 4-António Brandão de Vasconcelos, 5-Alberto Brandão de Vasconcelos, 6-?, 7-Adriano Brandão de Vasconcelos, 8-Alberto Joaquim Lima. in blog de António José de Sousa


São João de Valinhas, Crasto: 1-Dr. José Gomes de Figueiredo Sobrinho (n. 1861, c.c. 24), 2-Manuel Rodrigues Simões Junior (n. 1891, c.c. 5), 3-Filho do Agostinho da Farmácia (?), 4-José Elyseo Figueiredo Sobrinho (n. 1901), 5-Maria Luiza Figueiredo Sobrinho (n. 1895, c.c. 2), 6-Maria da Conceição de Gouveia de Azevedo e Bourbon (n. 1889, c.c. 11), 7-Maria José de Castro e Lemos (n. 11.04.1920, filha de 6 e 11), 8-?, 9-Antero Pinto Ferreira, 10-Filho do Agostinho da Farmácia (?), 11-Dr. Sebastião de Castro e Lemos de Magalhães e Menezes (n. 1882, c.c. 6), 12-Manuel Paulo de Castro Lemos (n. 1918, filho de 6 e 11), 13-Ana (Aninhas) Brandão de Vasconcelos (de Alhavaite, n. 1904), 14-Maria Elvira Sousa Sobrinho (n. 1904), 15-Inês Brandão de Vasconcelos (de Alhavaite, n. 1900), 16-António Brandão de Vasconcelos (de Alhavaite, n. 1896), 17-Maria Isabel Isabel Brandão de Figueiredo (do Alto da Estrada, filha de 23, n. 1915), 18-Maria Ignêz de Sousa Sobrinho (n. 1897, c.c. 27), 19-Dr. Manuel Sobrinho Simões Junior (n. 1918), 20-Maria Cristina Brandão de Vasconcelos (n. 1898), 21-Margarida de Sousa Brito (de Pousada, n. 1906), 22-Dr. António Brandão de Vasconcelos (n. 1907, de Alhavaite/do Soto), 23-Gertrudes Amélia Brandão de Vasconcelos (do Alto da Estrada, n. 1875), 24-Eulália de Sousa Brito (c.c. 1), 25-Engº Alfredo Sobrinho Barata da Rocha (n. 1917), 26-Dr. Augusto José Sobrinho Barata da Rocha (n. 1920), 27-Engº Augusto Barata da Rocha (n.1890 c.c. 18), 28-Dr. António Soares de Sousa (de Pousada). in blog de António José de Sousa

domingo, 5 de fevereiro de 2012



Alfredo de Queirós Ribeiro Vaz Pinto

Alfredo de Queirós Ribeiro Vaz Pinto, nasceu na Casa do Burgo em 05.IX.1905 e faleceu em Lisboa em 26.VII.1976. Foi o 3.º dos sete filhos de Alfredo de Melo Vaz Pinto, ntaural da Casa do Boco e Dona Maria Cláudia de Queirós Ribeiro Sotomaior de Almeida e Vasconcelos, da Casa do Burgo.
Licenciado em Engenharia Electrotécnica pela Faculdade de Engenharia do Porto. Entre 1933 e 1937 desempenhou funções de administrador adjunto na Administração Geral dos Correios e Telégrafos. Em 1937 foi nomeado administrador-delegado da Companhia Portuguesa Rádio Marconi, contribuindo de forma decisiva para a estratégia de desenvolvimento das telecomunicações internacionais portuguesas.
Foi nomeado, em 1959, presidente do Conselho de Administração da TAP, Companhia dos Transportes Aéreos Portugueses, onde permaneceu até 1973.
Entre 1968 e 1970 interrompeu o seu mandato, para assumir as funções de Ministro de Estado Adjunto do Presidente do Conselho, tendo regressado à TAP onde se manteve até 1973.
Foi Presidente do Conselho de Administração (1973 a 1974) e Presidente da Mesa da Assembleia-geral (1974 a 1976) da Shell Portuguesa.
Desde 1958 é Cavaleiro da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém, tendo sido nomeado Lugar-tenente em 1971, pelo Grão Magistério Cardeal Maximilien Furstenberg.
Em Junho de 1967, foi-lhe concedida por Sua Santidade o Papa Paulo VI a Comenda com placa de São Gregório Magno.
Foi agraciado pelo Presidente da República de Portugal com os títulos de Grande Oficial da Ordem de Mérito Agrícola e Industrial, em Julho de 1964, e de Grande Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique, em Junho de 1967.
Em Portugal foi igualmente agraciado por diversas entidades da vida económico-social, por serviços relevantes prestados à comunidade
Alfredo de Queiroz Ribeiro Vaz Pinto recebeu do Governo Brasileiro o título de Grande Oficial do Cruzeiro do Sul, Julho de 1967.
Foi ainda agraciado com diversos títulos de cidadania, designadamente os de Cidadão Paulistano (1963), Cidadão do Estado de Guanabara (1964), Cidadão de Pernambuco (1967), Cidadão de Belmonte (1967).
Em 5 de Setembro de 2005, data em que completaria 10o anos de idade, o Município de Cascais, cidade onde Vaz Pinto residiu grande parte da sua vida, assinalou a efeméride com o descerramento de uma placa toponímica na Estrada da Alapraia (rotunda da Escola Secundária de São João do Estoril).

imagem: Retrato a óleo de Henrique Medina (colecção Marconi).

sábado, 12 de novembro de 2011

VOLFRO! Esboço de uma Teoria Geral do "Rush" Mineiro. O Caso de Arouca.
de José Miguel Leal da Silva

Edição: ADPA
Arouca 2011
Montemuro. A Última Rota da Transumância.
Estudo da vida pastoril da Serra de Montemuro.
por Américo Oliveira e Filomeno Silva.

Edição: ADPA
191 páginas.
A Geologia da Região de Arouca e Paiva.
por Olindina Miler

Edição: ADPA
Entre Freita e Montemuro
por Filomeno Silva e Marco.

Edição: ADPA
211 páginas.
Rio Paiva.
Estudo sobre o Rio Paiva desde a nascente até à foz.
por Américo Oliveira, Carlos Aguiar Gomes, Filomeno Silva, Jorge Paiva e Paulo Silveira.
Edição: ADPA

250 páginas
Serra da Freita.
Estudo monográfico da Serra da Freita.
por Armando Reis Moura.
126 páginas.
Cancioneiro de Arouca
por Vergílio Pereira.
Edição Fac-Similada. Arouca 1990
Notas Monográficas Introdutórias, por Simões Júnior
904 páginas.
Cartulário de D. Maior Martins
por Filomeno Silva.
303 páginas.
Os Forais do Burgo e de Arouca
por Filomeno Silva.
120 páginas
Município de Arouca (Subsídios para a Sua História)
por Alberto de Pinho Gonçalves.
Arouca 2002
235 páginas.
Toponímia Arouquense
por A. de Almeida Fernandes e Filomeno Silva.
Arouca 1995
249 páginas.